(77) 3476-2327 - (77) 99171-2131
Depois de tragédia com enchente em 2013, Lajedinho agora pode deixar de existir como município

Depois de tragédia com enchente em 2013, Lajedinho agora pode deixar de existir como município

  • Categoria: Chapada
  • Data: 04-12-2019

Neste sábado (7) completa sete anos que o município de Lajedinho, na Chapada Diamantina, passou por uma tragédia, quando 17 pessoas, entre idosos, adultos e crianças, morreram por conta de uma enchente. A data caiu exatamente em um sábado naquele ano de 2013. Hoje, o município de 57 anos é um dos dez localizados na Bahia que corre o risco de ser extinto, caso a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo, apresentada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no início deste mês, seja aprovada.

Desde o temporal arrasador, não se fala em outro assunto em Lajedinho que não seja a possibilidade do município deixar de existir. Para os moradores, caso se concretize, a proposta seria mais uma tragédia que abalaria a vida de quem mora por lá. É o caso de Rodrigo da Silva, de 30 anos. O gerente de cultura contou ter visto de perto a água destruir os mais de 200 imóveis e teme que agora, a cidade que aos poucos está conseguindo superar o ocorrido, desapareça do mapa. Na opinião dele, além de impactar a história de um povo, se aprovada, a PEC acarretaria na possível migração de muitos lajedinhenses para outras cidades.

“Acho muito complicado mudar a história das pessoas que convivem em um determinado ambiente. As pessoas aqui são muito resilientes e todos sabem da tragédia que passamos e graças a Deus todo mundo já deu a volta por cima. É possível ver a garra no olhar das pessoas e se isso acontecer, vai ser um retrocesso muito grande para a gente. Lajedinho é minha vida. Isso aqui, na verdade, é uma grande família que luta muito diariamente para que as coisas consigam se desenvolver”, desabafou.

A ideia prevê que municípios com menos de 5 mil habitantes e arrecadação própria menor que 10% da receita total formada de impostos locais, como o IPTU, sejam incorporados a cidades vizinhas. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Lajedinho possui 3.808 habitantes, ou seja, 1.192 a menos do critério sugerido pela proposta. Já em relação a arrecadação, o município tem a receita total no valor de R$ 16.377.784,95 e arrecada R$ 667.558,72 de tributos próprios, o que representa um total de apenas 4,08 % do montante.

De acordo com o Ministério da Economia, 1.254 municípios brasileiros podem ser afetados com a medida proposta pelo governo federal. Assim como os moradores, o prefeito de Lajedinho, Marcos Mota (PSD), disse que recebeu “a proposta (qual chama de “autoritária” e “temerária”), com bastante indignação”. Para o gestor, a PEC precisaria de um estudo mais aprofundado antes de ser apresentada. “O impacto negativo disso na vida das pessoas é imenso. Haverá precarização do serviço público, a população vai ser vista pelas pessoas e pelos administradores do município que por ventura venha a absorver a nossa população, como olhos de cidadão de segunda classe”, afirmou.

Segundo o gestor, 82% dos municípios do país não arrecadam 10% de receita própria. “Tem capital no norte do país com mais de 400 mil habitantes que não arrecadam essa receita”, ressalta. Apesar de arrecadar menos de 10% com tributos próprios, Lajedinho tem superado, nesse quesito, municípios com mais de nove mil habitantes na região. “A gente arrecadou quase que três vezes mais se compararmos a municípios vizinhos que possuem o número similar ou maior de habitantes. Então percebe que a gente tem caminhado na direção correta”, frisa.

Da mesma forma como acontece com outras cidades pequenas, o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), valor repassado pela União aos estados, Distrito Federal e municípios brasileiros, ainda é o principal responsável pela manutenção de Lajedinho. No entanto, conforme o prefeito, na maioria das vezes, a quantia é utilizada para financiar gastos que não seriam de responsabilidade da prefeitura, como é o caso da segurança pública, de competência do Estado.

“O governo alega que o FPM é uma dádiva para os municípios e eu discordo totalmente. Muitas das demandas que a maioria dos prefeitos resolve não é de competência deles. O município de Lajedinho, por exemplo, financia despesas com segurança pública. Até a sede dos Correios, que é um órgão federal, para a gente manter instalado no município, se a gente não dá apoio, vai embora. É uma série de situações que só caem no colo dos prefeitos”, disse o gestor que defende uma transferência maior de verbas para os municípios.

Enquanto isso não acontece, Marcos Mota afirma que tem buscado aumentar o índice de arrecadação própria investindo no incentivo da pecuária e agricultura local, no entanto, as condições climáticas da região não contribuem para o crescimento do trabalho no campo. Em outubro do ano passado, Lajedinho entrou na lista dos 146 municípios baianos que tiveram a situação de emergência reconhecida pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração Nacional, devido à seca.

Com a seca e sem terrenos para plantios, o que resta é buscar outras formas de se expandir a economia e com isso trazer de volta quem deixou a cidade ou até mesmo atrair novos moradores e ultrapassar o número de 5 mil habitantes, o que livraria Lajedinho de se integrar a outro município. Conforme o prefeito, a instalação de uma mineradora para fabricação de cimento pode ser a solução para a geração de emprego no local. Segundo ele, o investimento é de quase R$ 1 bilhão.

No estado, além de Lajedinho, outras nove cidades também podem deixar de existir através dos critérios da PEC, são elas: Maetinga, Catolândia, Lafeiete Coutinho, Lajedão, Dom Macedo Costa, Ibiquera, Contendas do Sincorá, Aiquara e Gavião. Para ser aprovada, a PEC exige quórum quase máximo e dois turnos na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

RCA FM COM INFORMAÇOES - JORNAL DA CHAPADA

Compartilhe na Rede


Fechar

É fácil Participar da Promoção!

Digite abaixo o Nome da Promoção, Nome(completo) e Telefone com DDD.

Participe da Promoção